Minhas Impressões: Prometheus (2012)


- terça-feira, 16 de outubro de 2012
* Alerta de Spoiler: Este post discute livremente elementos de toda a trama do filme. Aqueles que não viram o filme e querem o ver antes, são encorajados a regressar depois de tê-lo visto. *

Ridley Scott fez uma "prequência" do grande clássico de terror/ficção científica "Alien" tão angustiante quanto seu filme de 1979.


"Lá fora, entre as estrelas, onde ninguém pode ouvir você gritar"; com este slogan, Alien tornou-se um conto horrível de uma nave interestelar, a Nostromo, que tem a bordo um monstro de total malevolência, em que a  oficial Ripley é uma das duas únicas tripulantes femininas e a única sobrevivente da Nostromo, interpretada pela formidável Sigourney Weaver.

Não tive oportunidade de assistir a este filme no cinema, o vi por DVD. Eu estava com grandes expectativas desde que soube que esse filme estava sendo produzido e que Ridley Scott estava de volta à franquia. Mas também, após seu lançamento, não conseguia digerir bem as críticas negativas que eu ouvia a respeito do filme, porque confio no trabalho de Ridley Scott e sabia que ele não faria um filme medíocre. E foi com isso em mente que eu assisti ao Prometheus.

No filme, há muitas referências diretas e indiretas ao filme Alien, que é mais cerebral e místico do que "efeitos especiais". Prometheus começa como Kubrick fez em 2001: Uma Odisseia no Espaço, com uma trilha de pistas sobre a Terra que leva os exploradores para o espaço.

David, o andróide

Em 2089, dois arqueólogos, Elizabeth Shaw (a atriz sueca Noomi Rapace) e Holloway (Logan Marshall-Green) descobrem pictogramas antigos em uma caverna em Skye que os convence de que extraterrestes de um planeta distante visitou a Terra. Ela é uma cristã praticante, ele um ateu militante, que gradualmente se vê convencido de que esses extraterrestres poderiam ter realmente criado a vida no nosso mundo.

Holloway, Shaw e David

O filme então pula à frente no tempo e no espaço. A nave espacial Prometheus, um veículo científico exploratório, está se aproximando de um planeta, desamparado e desconhecido, em 21 de Dezembro 2093, em uma expedição financiada pelo empresário dono da Weyland Corporation.

Shaw e Holloway estão entre as 17 pessoas a bordo, e a tripulação está acordando após dois anos de sono criogênico. A única "pessoa" acordada durante toda a viagem é o suave andróide (mais uma referência à 2001: Uma Odisseia no Espaço?) David (Michael Fassbender), que ao contrário do robô interpretado por Ian Holm em Alien, declara sua identidade imediatamente.

Cabine de controle dos Engenheiros

Scott constantemente permite que a tensão se construa de maneira consistente, sempre consciente de que as expectativas despertadas por um retorno do Alien original devem ser satisfeitas, mas em absoluto, ele não se repete.

Argh!

Prometheus é um filme forte, concebido de maneira soberba, emocionante e uma experiência emética. Alguns sustos podem ter sido antecipados com um pouco de reflexão, outros não. Um filme de terror existencial que levantou questões religiosas e cosmológicas.

Em última análise, Prometheus não oferece tantas ligações diretas com Alien como alguns fãs poderiam esperar diante dos trailers. No entanto, o filme prepara o terreno para os eventos subsequentes que mais tarde iriam acontecer com Ripley, bem como a tripulação da Nostromo.

Engenheiro

Devemos considerar Prometheus como um ponto de ajuste, até porque Scott não tinha ideia de que, em 1979, o seu filme de terror sci-fi causaria tanta especulação.

A questão de "quem nos criou" é central para as conexões entre Prometheus e Alien, uma vez que toda a trama gira em torno de um par de arqueólogos, cuja busca para encontrar os seus criadores os leva (junto com a equipe de Prometheus) para a lua distante LV-223.

Contrariando especulações anteriores, LV-223 não é a mesma lua que a Nostromo em Alien (conhecida como LV-426), uma vez que, além de diferentes nomes, os planetas apresentam composições atmosféricas diferenciadas. Como resultado e para minha surpresa, nenhum dos eventos descritos em Prometheus estão diretamente ligados.

Bravura e coragem quase (quase!) tão admiráveis quanto às de Ripley

Neste filme, descobrimos também que a LV-223 possui ruínas que foram realmente utilizadas pelos misteriosos Engenheiros como uma instalação de armazenamento para uma perigosa arma biológica de destruição em massa (uma arma que eles não querem ter perto de seu planeta natal). Quando removido de seu compartimento selado, o viscoso líquido negro se transforma em matéria orgânica, criando mutações perigosas e terríveis. Embora os detalhes do evento não estão claros, em algum momento (que a equipe aponta para cerca de 2000 anos antes), a instalação dos Engenheiros no LV-223 foi invadida por um surto e a população local foi exterminada. Isto é, com exceção de um Engenheiro que permaneceu em segurança preservado em uma forma de sono criogênico.

Os Engenheiros criaram esta gosma molecular "primordial" que toma qualquer forma de vida parasita e altamente destrutiva. De alguma maneira, isso resultou em criaturas mutantes que mataram os Engenheiros em LV-223. Então, o que temos aqui é um experimento científico que falhou nas mãos dos Engenheiros. A criatura que surge no final do filme não pode ser o "Alien" propriamente dito. Meu palpite é que a "gosma negra primordial" misturada ao DNA do Engenheiro ou ao DNA humano resultaria em uma criatura parasita que tende a destruir seu hospedeiro e apresenta uma carga alta de violência.

Duplo Argh!

Creio que maiores esclarecimentos teremos na sequência de Prometheus. Mas diferentemente da maioria dos comentários que vi/ouvi, achei Prometheus um filme espetacular, daqueles capaz de mexer com você. Não tão assustador como Alien, não tão emocionante como Aliens, mas ainda assim incrível.

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

6 comentários:

Bob Mota comentou:

Então, eu não sei o que pensar sobre Prometheus. Não acho que tenha sido tão espetacular quanto Alien ou Alien 2, mas também não acho que tenha sido uma bela porcaria como o Alien 3 e o Alien 4. Acho que como fã da franquia eu esperava ver mais respostas mas o filme só deixou mais dúvidas.
Penso que o filme tenha se prendido demais na origem da humanidade e deixado de lado o Alien. Evidente que uma coisa está relacionada a outra mas acho que ele se distanciou da origem da criatura que queríamos ter visto.
A criatura no final do filme nos faz pensar que este talvez seja o primeiro Alien, mas não há nenhuma confirmação disso. Também não deixa claro o motivo dos Engenheiros quererem distruir a humanidade, ou como aquele feto se transformou numa lula gigante que parece uma forma primitiva das criaturas que contaminam as pessoas no primeiro filme da franquia.
Enfim, o filme não é perfeito mas nos deixou curioso e nos fez indagar sobre muitas coisas, ou seja, cumpriu o seu papel, mas espero que o próximo responda mais questões ao invés de criar uma grande quantidade delas.

* Andhora Silveira * comentou:

Eu acredito que bons filmes são aqueles que são capazes de deixar você cheio de questionamentos. Foi com esse sentimento que fiquei ao assistir. Pode não ter sido o melhor, ou perfeito, mas achei muito bom. E é como falei, não é tão assustador quanto Alien, nem tão emocionante quanto Aliens...

Mauri Carrasco comentou:

Eu acho que preciso assistir mais vezes antes de ter uma opinião melhor. Sei lá, o que eu penso atualmente do filme me parece não ser suficiente convincente nem pra mim. Na única vez que assisti, a primeira coisa que me veio na cabeça foi "é só isso?". Tive a impressão de ver um filme de FC genérico, daqueles que passava vez ou outra no SBT em tardes chuvosas.

Não consegui entender as reais motivações dos personagens, achei questionáveis suas atitudes. Simplesmente o filme não causou impacto, como se fosse uma chuvinha de verão. Vou assistir mais algumas vezes, espero que essa impressão mude, é daqueles filmes que eu quero gostar.

Vitorio Borella comentou:

Olá, lamento dizer que eu ri muito, e desde o começo.
Dizer logo de cara que a nave estava a trizilhões de quilometros da terra em uma missão secreta... ??????????? putz, não precisa fazer segredo assim tão longe de casa.
Nada fica claro em momento algum do filme, não que ele seja complexo, é que o roteiro é ruim tendendo a ser ação e suspense baratos, tudo muito óbvio, tudo muito clichezão e umas tecnologias muito retardadas como: lança chamas, meu, isso é pré revolução industrial, vá ser retro assim lá longe.
Na real o filme é visualmente muito bonito, mas imaginar que uma nave daquele tamanho despenca sobre a heroina e ela se salva pela proteção de uma rocha no chão é chamar o público de idiota, só rindo mesmo...
Fraquinho, fraquinho. Uma pena, uma perda. Nem parece Ridley Scott de tantos filmes maravilhosos...

* Andhora Silveira * comentou:

@Mauri Carrasco O filme é realmente confuso, mas acho que isso pode ter sido proposital, considerando que pretendem fazer uma continuação dele... posso estar enganada!:)

* Andhora Silveira * comentou:

@Vitorio Borella Acho que por ser um Hard Sci-Fi, um lança-chamas é até aceitável. Uma coisa que achei forçada, foi a cesariana que Shaw faz pra tirar a criatura de si, e depois sair correndo como se não tivesse feito nada, creio que uma mulher necessita de um mínimo de repouso possível... Obrigada pelo comentário.

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top