Wonder Woman #11 - New 52


- segunda-feira, 23 de julho de 2012

Desde a primeira edição, uma jovem mulher chamada Zola está carregando o filho de Zeus em seu ventre. Por 11 números, assistimos este fato simples fazer com que os personagens fiquem juntos para um bem comum e outros a se chocarem com essa ideia. Embora seja a Mulher-Maravilha uma protetora de Zola, é Zola que está no centro da condução desta história. Um dos temas que Azzarello questiona é "o direito".

Existe uma profecia que sugere que a criança de Zola será a única a tomar o trono de Zeus, que está atualmente vago, mas os deuses têm seus próprios planos. Apolo, por exemplo, sente-se no direito de apoderar-se do trono de Zeus. Naturalmente, isso coloca Zola em perigo muito sério.



É também através de Zola que Azzarello teve o cuidado de manter a humanidade na história. Zola lida com as questões de saúde envolvidas na gravidez, levando a Mulher-maravilha e Hermes para acompanhá-la ao médico.

Zola, Hermes e Diana


Deméter e Ártemis
Hermes e Diana usam roupas civis. Chiang possui um forte senso de estilo, vestindo Diana com um elegante, e ao mesmo tempo simples, sobretudo branco, escondendo seu traje amazônico. De certa forma, é tão impressionante como qualquer uniforme real ou sobrenatural que uma amazona ou um deus poderia usar.



Mas quando é a hora do confronto dos deuses, os desenhos de Chiang são igualmente impressionantes. Recebemos nossos primeiros olhares de Deméter e Ártemis, que discutem a profecia do trono de Zeus e traçam uma sua intervenção. Deméter representa a natureza. Ártemis é uma silhueta luminosa com chifres. As manifestações físicas dos deuses feitas por Chiang são memoráveis.


Apolo e Ártemis


Azzarello e Chiang usam seus talentos para criar um mundo que mescla os humanos e os deuses de maneira que parece extraordinária, mas crível. Roteiros inteligentes, consistentes com a arte de Chiang que faz com que o mundo que conhecemos seja divertido como uma batalha estrondosa entre os deuses.

No geral, eu gostei muito desta edição. Adorei mesmo. Acontece muita coisa, tem deuses novos e divertidos, arte espetacular (e um sobretudo muito lindo). Isso é realmente tudo o que eu quero nas histórias da Mulher-maravilha.

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

1 comentário:

Bob Mota comentou:

Azarello e Chiang é a melhor dupla desse reboot da DC, a forma com estão construindo o mundo da Mulher-Maravilha é incrível! Estão de parabéns, com certeza essa é a Mulher-Maravilha deste novo milênio. Finalmente!

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top