Minhas Impressões - Batman: Year One (Batman: Ano Um)


- quinta-feira, 5 de janeiro de 2012
Batman: Ano Um - Graphic Novel (1987); Animação (2011)



* Alerta de Spoiler: Este post discute livremente elementos de toda a trama do filme e da Graphic Novel. Aqueles que não os viram e querem ver antes, são encorajados a regressar depois. *

Li uma adaptação para a Origem do Batman escrita por Frank Miller e que mais recentemente foi feito um filme de animação, com mesmo nome, Batman: Year One (Batman: Ano Um). Aqui, ao passo que irei comentar sobre a graphic novel, também irei falar sobre a animação.

A história narra o início da carreira de Bruce Wayne como Batman e de Jim Gordon no Departamento de Polícia de Gotham City. Pude observar que os estilo de narração é bem semelhante ao trabalho que Frank Miller fez com Sin City. É uma marca dele.

 
De um lado Bruce Wayne, com 25 anos, regressa a sua casa após viajar o mundo em busca de conhecimento em artes marciais e ciência por quase 12 anos. Em Gotham, ele espera o momento apropriado para atacar, e passa o tempo todo se preparando para isto. Do outro lado, Gordon, por sua vez, mudou-se de Chicago para Gotham com sua esposa grávida, Barbara Kean-Gordon, e prossegue com sua carreira. Gordon tem o seu primeiro contato com detetive Flass, que mostra ser um oficial extremamente corrupto.


Batman: Ano Um é mais uma excelente animação da DC Comics e da Warner. Neste caso, os co-diretores Lauren Montgomery e Sam Liu idealizaram um trabalho bastante desafiador: transformar em animação o lendário trabalho de Frank Miller e David Mazzucchelli sobre o nascimento de Batman e os julgamentos pessoais de Bruce Wayne e Jim Gordon.



O que fez dessa história em quadrinhos tão marcante, além de seu feroz estilo artístico, é que sua história é muito mais sombria do que muitas narrativas anteriores. Além disso, boa parte da história descreve os acontecimentos sob a perspectiva de Gordon, que lhe permite servir como uma introdução não só para sua própria vida, mas para o crescimento e posterior corrupção e decadência de Gotham City.


O filme é uma adaptação quase perfeita. É um olhar firme e direto no submundo de Gotham City (é possível vislumbrar muitas cenas que serviram de inspiração para os filmes de Christopher Nolan), e o desenvolvimento de seus dois maiores defensores, ainda que sejam de lugares muito diferentes. O filme não faz rodeios, entrando em muitos detalhes como é na história em quadrinhos.


Gordon não é o cidadão perfeito, ele tem um caso extraconjugal com uma colega de trabalho, e a sua teimosia põe em risco a sua família. Curiosamente, na HQ, o lado de Gordon é muito mais envolvente do que o lado de Bruce Wayne. Wayne é interessante, mas parte da desconexão decorrente do fato de que todos nós sabemos que Wayne é o Batman. Gordon tem uma complexidade muito maior nesta história. Acredito também que na animação a voz de Benjamin McKenzie não é tão boa para dublar o Batman.


O personagem de Bruce Wayne é um personagem muito menos intrigante uma vez que você o afasta de sua capa. No entanto, ainda é interessante de assistir o despojado e geek Wayne. Também, nessa história, introduzem a Mulher-Gato, a ex-prostituta e ladra, Selina Kyle. É um papel de mulher durona que vê no roubo uma forma de sair da vida de prostituta.


Apesar do tempo de execução ser breve, Batman: Ano Um é um dos melhores filmes de animação da DC, que compensa os projetos de alguns live-action que não foram satisfatórios (com exceção dos filmes do Nolan).


A desconstrução de caráter intenso deve ser suficiente para satisfazer os fãs de longa data do Batman. Não vá esperando cenas de ação muito intensas, mas se você quiser uma ótima interpretação da lenda do Homem-Morcego e uma representação extremamente fiel de uma história em quadrinhos clássica, então Batman: Ano Um deve prendê-lo até o lançamento de The Dark Knight Rises este ano.

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

1 comentário:

Bob Mota comentou:

Me empolguei demais para assistir a animação depois desta resenha. Eu não sabia se realmente estava fiel, pelo que vi aqui é quase uma transposição de mídias. Excelente texto, muito bem escrito e concordo com suas opiniões sobre a hq. É muito bom ler uma resenha bem escrita assim, PARABÉNS!!

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top