Minhas Impressões: Pulp Fiction (1994)


- quarta-feira, 14 de dezembro de 2011
* Alerta de Spoiler: Este post discute livremente elementos de toda a trama do filme. Aqueles que não viram o filme e querem o ver antes, são encorajados a regressar depois de tê-lo visto. *


Neste filme, o cineasta Quentin Tarantino faz um excelente trabalho ao abordar alguns assuntos complicados e torná-los algo acessível ao público. "Pulp Fiction" é brilhante e brutal, engraçado e emocionante, de cair o queixo de tanta crueldade e ao mesmo tempo meigo. Isso mesmo, Quentin Tarantino produziu uma obra de entretenimento hipnotizante. Assistir a esse filme é uma experiência incrível.

A história é um multi-enredo, em que esse multi-enredo torna-se mais aparente na medida em que o filme avança, pois todas as partes estão bastante envolvidas e são não-lineares. Basicamente, o filme possui uma narrativa circular interconectada com acontecimentos bizarros nas vidas dos personagens. No fim, tudo vem junto em um devaneio Tarantinesco multi-irônico. 


O drama está longe de ser entediante: Samuel L. Jackson é inesquecível como um assassino filosófico que cita Ezequiel antes das execuções numa espécie de ritual. Uma Thurman, serenamente irreconhecível com uma peruca preta (muito maluca), e mulher de um influente gangster. Bruce Willis é um charme como um lutador de boxe que se recusa a perder uma luta. John Travolta como um valentão de boa índole, que produz, quem sabe, uma das melhores atuações de sua vida.

Pulp Fiction é um espetáculo singular. A melhor maneira de descrevê-lo é como se no momento que você sentasse no sofá pra assisti-lo, você fosse imediatamente transportado para uma montanha-russa que segue a toda velocidade através de uma casa de horrores. Essa visão é complementada com um dos mais engraçados, sujos e inteligentes diálogos que já ouvi em muito tempo. 


Se a violência extrema é algo que você não consegue suportar, se mais de 700 usos da palavra FUCK é algo que você não pode tolerar, se o uso de drogas pesadas é algo que você não aguenta ver, então não assista ao Pulp Fiction.

John Travolta estrela como Vincent Vega, um assassino de nível médio que executa tarefas para um chefe da máfia. Nós o vemos pela primeira vez com seu parceiro Jules (Samuel L. Jackson), que estão a caminho de um confronto violento com alguns traficantes de drogas. 


Travolta e Uma Thurman fazem uma sequência de cenas muito engraçadas e bizarras. Ela é a esposa do chefe da máfia (Ving Rhames), que ordena que Vega a acompanhe durante uma noite. A doida acaba tendo uma overdose e sendo "ressuscitada" com uma seringa de adrenalina na veia. 


Bruce Willis e a atriz Maria de Medeiros fazem outro casal: Ele, como já falei, é o boxeador Butch Coolidge e ela é sua namorada doce e ingênua. O método que o filme possui de envolver seus personagens em situações difíceis e depois deixá-los fugirem faz parte da capacidade inventiva e original de Tarantino. 


Tarantino trabalhava como balconista de uma locadora de vídeo e a inspiração para "Pulp Fiction" são filmes antigos, como ele mesmo já revelou. E dessa maneira o herói principal e aquele que tomou a maioria dos riscos neste filme foi o roteirista e também diretor, Quentin Tarantino.

É fascinante e maravilhoso. O nível de intensidade do filme está fora de escala. Eu ri como louca em muitas cenas e ao mesmo tempo tinham cenas que eu proferia "ai, meu deus!", escondendo o rosto, de tão fortes que são. Se você aguenta montanhas-russas e se você não possui nenhum problema de coração, eu recomendo este filme para você.

Mas não recomendo o filme para crianças ou adolescentes, é demais para eles. É necessário maturidade para assistir. Também não recomendo o filme para moralistas, pois é um soco na cara e contém quase tudo o que possa ofender, incluindo palavrões, brutalidade, assassinato, estupro e nudez masculina/feminina.

Incansável em seu ritmo, Pulp Fiction é tão desgastante, como também é emocionante. Entre todos os tiroteios e confrontos violentos, existem oportunidades para explorar as várias facetas da experiência humana, incluindo renascimento e redenção. 


"O caminho do homem justo é rodeado por todos os lados pelas injustiças dos egoístas e pela tirania dos homens maus. Abençoado é aquele que, em nome da caridade e da boa-vontade pastoreia os fracos pelo vale da escuridão, pois ele é verdadeiramente o protetor de seu irmão e aquele que encontra as crianças perdidas. E Eu atacarei, com grande vingança e raiva furiosa aqueles que tentam envenenar e destruir meus irmãos. E você saberá: chamo-me o Senhor quando minha vingança cair sobre você". 
Ezequiel 25:17, por Jules (personagem do Samuel L. Jackson)

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

1 comentário:

Bob Mota comentou:

Excelente crítica, você conseguiu realmente capturar a essência da obra. O modo "Tarantinesco" de se fazer um filme é realmente único! Eu adoro os filmes dele desde que assisti Bastardos Inglórios, a partir daí fui procurando descobrir todo o resto. É um excelente diretor!

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top