Sim, ela é badass - Parte 6


- segunda-feira, 12 de setembro de 2011
6. Wonder Woman (Histórias em Quadrinhos, Animações/Filme, Série)


A Mulher-Maravilha é a filha de Hipólita, rainha imortal das Amazonas na Ilha Paraíso. Em algum ponto da história, Hipólita ansiava por uma criança e foi instruída pela deusa Afrodite a moldar a forma de uma criança na argila. Quando ela fez, Afrodite concedeu vida à criança, a quem Hipólita chamou de Diana.

Diana era uma criança excepcional. Mostrava uma força incrível e uma grande agilidade até mesmo como uma jovem. No final da adolescência, ela recebeu seus braceletes e bebeu da fonte da eterna juventude da Ilha Paraíso, que desde então lhe concedeu imortalidade. Ela também foi treinada em uma variedade de habilidades, incluindo medicina, equitação, e "balas e braceletes", um jogo das Amazonas que desvia projéteis com os braceletes.

Em 1941, o tenente Steve Trevor, um agente de inteligência do Exército dos Estados Unidos, caiu com seu avião nas águas perto da Ilha Paraíso. Seu corpo foi encontrado boiando em meio aos destroços por Diana, que nunca tinha visto um homem na vida. Ela então carregou Trevor ferido para seu laboratório, onde ela cuidou dele com a ajuda de Dra. Althea.

História em Quadrinhos 1942

Incansavelmente, Diana utilizou da ciência Amazona para desenvolver um raio roxo que poderia curar lesões muito extensas. Steve Trevor havia morrido pouco antes da conclusão do raio, mas uma vez concluído, o raio roxo foi capaz de restaurar a sua vida e o trazer dos mortos. Enquanto isso, Hipólita temia a presença de um homem em seus domínios.

No Olimpo, Ares, o deus da guerra (também conhecido como Marte) insulta Afrodite afirmando que a maioria das nações da Terra estavam em guerra. Guerra, segundo ele, domina o mundo. Afrodite ordena a Hipólita a selecionar uma Amazona para escoltar Trevor de volta para a América. Então, Hipólita realiza um concurso para selecionar a mais hábel de suas irmãs para entrar no mundo dos homens. Assim como Hipólita temia, Diana solicita a participação no concurso, porém Hipólita não a deixa participar. Logo, Diana projeta uma máscara para esconder sua identidade e entra na competição.

Filme/animação Mulher-Maravilha (2009)

O concurso foi cansativo, resultando na eliminação de todas as outras concorrentes, restando apenas Diana e Mala. O teste final foi a habilidade única das Amazonas de desviar projéteis com os seus braceletes. No auge desta rodada, Diana concluiu com sucesso a prova. Quando ela revelou sua identidade, Hipólita ficou consternada, mas aceitou, então deu a Diana o traje com que ela representaria o seu povo na América e implementos mágicos para ajudá-la. Estes incluíram um laço que compelia a qualquer um que estivesse laçado a honestidade e a obediência, e um jato que só era visível aos olhos do Amazonas. Diana adotou codinome de Wonder Woman (Mulher-Maravilha).

E é assim que surge a Mulher-Maravilha. É provável que você encontre outras versões para a origem da Mulher-Maravilha. Essa é a "origem original" que foi adaptada para séries, animações, quadrinhos, etc.

Batman, Mulher-Maravilha e Superman ("A Trindade") - Liga da Justiça
A Mulher-Maravilha é a primeira mulher a entrar na Liga da Justiça da América (LJA). Ela é um dos super-heróis mais poderosos do mundo e é a prova viva da supremacia das Amazonas. Além de sua extraordinária força, inteligência, capacidade de voar alto por breves períodos, agilidade e capacidade de duplicar a voz, a Mulher-Maravilha possui habilidades extraordinárias de disfarce: com alguns toques simples (uma peruca, um penteado diferente, óculos, etc.), ela é capaz de mudar sua aparência tão drasticamente que mesmo sua própria mãe não é capaz de reconhecê-la. 

Série Animada - Liga da Justiça (2001-2004)

Quando combinada com sua habilidade de instantaneamente mudar sua aparência com um giro simples, isso lhe permite viver uma vida dupla como Mulher-Maravilha e Diana Prince. Como armas, ela possui um laço (que já foi citado) e a tiara dourada que funciona como uma arma de arremesso. A Mulher-Maravilha também foi treinada por suas irmãs em uma variedade de técnicas marciais, se destacando como a melhor das Amazonas na luta corpo-à-corpo.

Lynda Carter como Mulher-Maravilha, série de televisão (1975-1979)

Diana é uma acrobata especialista, estrategista, atleta e lutadora. Ela alcançou o domínio sobre diferentes tipos de combates modernos e antigos, ambos armados e desarmados, através da formação e experiência. Já lutou (e venceu) contra o Batman, a Canário Negro e a Big Barda, só para citar alguns.

Hiketeia - História em Quadrinhos (2002)

Ela é melhor e mais forte do que cem atletas humanos e pode correr a uma velocidade de 80 m/h. É capaz de rasgar uma porta de metal e saltar de edifícios e terrenos sem muito esforço. Ela consegue até mesmo falar 160 palavras por minuto.

Junto com a evolução da sua personagem, suas habilidades e poderes foram aumentados e modificados por diferentes escritores. Originalmente ela foi abençoada por ser tão bela como Afrodite, tão sábia quanto Atena, mais forte do que Hércules e mais rápida do que o Mercúrio. Mais tarde, Artemis, a deusa dos animais, abençoou Diana com a capacidade de domar as feras. A deusa Héstia lhe deu irmandade com fogo e Hermes lhe deu super velocidade. Possui conhecimento de telepatia, ciência e uma capacidade de falar todas as línguas humanas e extraterrestres.


Mas se tem algo que enfurece a Mulher-Maravilha como ninguém são atos de machismo e de desprezo contra as mulheres. Ela não tolera e vai até as últimas consequências para fazer mudar a opinião de quem pensa assim. Ela também não tolera mulheres que se fazem de frágeis para os homens. Segundo Diana, a mulher deve se valorizar e a sociedade que não reconhece a força de uma mulher está fadada à destruição. Concluindo, é uma mulher completa que não poderia faltar na seção "she-badass".


author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

1 comentário:

Bob Mota comentou:

Um belo resumo da história da personagem! A Mulher Maravilha mais do que uma heroína, ela é um símbolo para as mulheres. Na sociedade que ela surgiu as mulheres eram o contrário, foi uma publicação arriscada e revolucionária.
É uma pena que ela não tenha tantas histórias consagradas quanto o Superman e o Batman. Acho que os próprios escritores não levam ela a sério.
No reboot da DC o roteirista responsável é o Brian Azzarello, e só por isso pode ser que acompanhemos uma fase histórica da personagem com alguém que realmente leve ela a sério.

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top