Minhas Impressões: Quadrilogia Alien - Alien (1979) - Parte 1


- sexta-feira, 8 de julho de 2011
* Alerta de Spoiler: Este post discute livremente elementos de toda a trama do filme. Aqueles que não viram o filme e querem o ver antes, são encorajados a regressar depois de tê-lo visto. *


A quadrilogia Alien (Alien [Alien - O oitavo passageiro], Aliens, Alien³ e Alien Resurrection [Alien - A ressurreição]) cada filme composto por um diretor diferente e todos estrelados pela grande Sigourney Weaver, foram reunidos em um box, The Quadrilogy Alien, e tive a oportunidade de assistir aos quatro filmes.

Eu tinha vagas lembranças de quando eu tinha assistido pela primeira vez esses filmes. Obviamente na época eu havia achado assustador. Hoje, já tive um novo olhar a respeito dos filmes.

O Alien original, feito em 1979 por Ridley Scott, foi um avanço tecnológico brilhante de "filme de monstro", um híbrido surpreendentemente intenso de horror e ficção científica, construída sobre uma base sólida de desenvolvimento do caráter e a imaginação de um futuro bastante realista. Os passageiros da nave Nostromo, encontram o alienígena pela primeira vez e tentam lidar com a sua natureza agressiva e estrutura física quase indestrutível.

Em 1986, Aliens, dirigido por James Cameron, conta a história de uma unidade de fuzileiros que é enviada para erradicar os alienígenas de um assentamento humano isolado, foi uma continuação inspirada nos conceitos apresentados no primeiro filme. Entre os seus muitos atributos, tem uma variedade de emoções: existe a missão de reconhecimento do covil dos alienígenas, o tiroteio em massa, a batalha entre a heroína (Ripley) e o "Alien-mãe", e a cena mais angustiante de todas, em que a Ripley e uma menina estão presas em uma sala fechada com dois alienígenas.

Também tem Alien³, dirigido por David Fincher, em 1992, e Alien Resurrection, dirigido por Jean-Pierre Jeunet em 1997. O filme de Fincher é bizarramente sangrento. O filme de Jeunet é igualmente bizarro, porém possui uma sátira sofisticada, própria do diretor.

Irei começar falando um pouco sobre o primeiro filme da série, Alien.


Alien tem uma atmosfera intensa. Em muitos aspectos Alien foi o primeiro da espécie. Verdade, ele não foi o primeiro filme que se passa no espaço que caracteriza um monstro homicida, nem é o primeiro em que um grupo de personagens são caçados por um monstro em locais escuros e úmidos. No entanto, este "filme de horror no espaço" foi um dos primeiros a efetivamente polinizar a ideia de cruzar o gênero terror e ficção científica. Alien se tornou modelo para dezenas de filmes e estimulou três continuações. Nenhuma produção conseguiu chegar tão perto do que os cineastas alcançaram com os recursos tecnológicos de 1979 e essa é um das principais características de Ridley Scott.

Além do gráfico de horror misturar-se com a ficção científica, Alien tem outra distinção: é um dos primeiros filmes a retratar um herói de ação do sexo feminino! (E isso me deixa muito orgulhosa) Ainda hoje, nas raras ocasiões em que uma mulher assume a liderança em um filme de ação/aventura, ela geralmente é feita e interpretada aos moldes da personagem Ellen Ripley, de Sigourney Weaver. Grande parte da reputação Ripley é baseada em acontecimentos com Aliens, onde ela revida contra as criaturas com sentimento de vingança.


Em Alien, Ripley é essencialmente apenas uma dos vários membros da tripulação, até o final, quando ela é a última da tripulação (sem contar o gato Jones). Ter Ripley como o herói de Alien foi um desafio interessante, porque na época, em 1979, os telespectadores automaticamente esperavam que o papel fosse preenchido por Tom Skerritt.

A forma como Scott meticulosamente levanta a sensação de ameaça e tensão é digna de Hitchcock. Essa atmosfera encharca nossa imaginação e aumenta os pesadelos com o alien. Scott cuidadosamente restringe a nossa visão da criatura. Só vemos relances, partes, mas nunca o alien por inteiro. Até mesmo uma cena que possuía uma visão completa do alien foi cortada do filme (como pode se ver nos extras do DVD).

Alien começa de forma lenta e calma, introduzindo-nos à tripulação da Nostromo, uma nave de reboque espaço-comercial em um curso de retorno à Terra, carregada de minério. Eles são em número sete: o capitão, Dallas (Skerritt); Ripley (Weaver), tenente-oficial da nave; Lambert (Veronica Cartwright); o oficial das ciências, Ash (Ian Holm), que na verdade é um andróide; Kane (John Hurt), que é dotado de humor negro; Brett (Harry Dean Stanton) e Parker (Yaphet Kotto), os encarregados de extrair o minério.


Durante as cenas iniciais do filme, há um senso de normalidade sobre as atividades da tripulação. Para eles, este é um trabalho enfadonho, estão ansiosos para chegarem em casa e receberem o seu dinheiro. Os perigos do espaço estão longe de suas mentes, e, como resultado, da nossa. Aqueles que acreditam que o início de Alien é maçante não tem a mínima noção de que às vezes é necessário um ritmo um pouco letárgico para que o resto do filme seja eficaz.

Depois de receber um sinal de socorro possível de um planeta aparentemente desabitado, Dallas, Kane e Lambert decidem investigar. Na superfície inóspita, eles se deparam com o que parece ser uma nave espacial que caiu. Dentro, eles encontram uma câmara cheia de ovos. Quando Kane está analisando, o ovo abre e surge uma criatura que lança-se em Kane, perfurando um buraco através de seu capacete de proteção, enroscando sua cauda na garganta. Dallas e Lambert levam o homem inconsciente de volta à nave, onde Ripley tenta impedir que eles entrem, citando os regulamentos de quarentena. Ash, no entanto, abre a porta para deixá-los entrar e Kane é levado para o laboratório médico, onde Ash determina que seria muito perigoso a retirada da forma de vida do seu rosto. Eventualmente, porém, a criatura sai por si só, aparentemente morta. Kane retorna à consciência e tudo parece estar bem.


Em seguida, vem o jantar fatal, em que ocorre, entre engasgos, sufocamento e muita dor, a saída sangrenta do alien de dentro da pessoa, que é sem dúvida a cena mais comentada do filme. A criatura explode em seu peito e foge para a dutos de ar, deixando para trás o corpo morto de Kane. O resto da tripulação monta uma equipe de busca na nave Nostromo, através dos corredores claustrofóbicos e escuros, com o alienígena aniquilando um por um. E a cada nova vítima, ele cresce maior e mais forte.

Alien é capaz de dar sustos genuínos. Não são meros "buuuus" momentâneos, quando algo salta das sombras acompanhado por um barulho alto e crescente, mas são choques legítimos. A primeira ocorre quando o bicho pula fora do ovo e se instala em Kane. A segunda é quando o alien explode do peito de Kane. Então, durante a caça do alien existem muitos outros. De fato, o nível de suspense durante os 30 minutos finais do filme tornam-se quase que insuportáveis.


O elenco de Alien é composto por atores incríveis, incluindo Ian Holm (Carruagens de Fogo), John Hurt (1984, O Homem Elefante) e Sigourney Weaver (Os Caça-Fantasmas, Nas Montanhas dos Gorilas, Avatar) que ganharam vários aplausos da crítica e indicações ao Oscar.

Outras estrelas de Alien são os designer de produção, Michael Seymour e o designer da criatura alienígena, H.R. Giger. Seymour moldou o cenário perfeito para a criatura: um labirinto de escuridão, passagens de pesadelo que enfatizam a sensação de claustrofobia e tensão crescente.


A criação de Giger é de um terror sem precedentes e representa uma das visões mais memoráveis ​​que já apareceu em um filme de ficção científica. Com seu corpo metálico, meio réptil e fileiras de dentes afiados pingando saliva, a figura de alien causa um impacto terrível.


Alien pode não ter sido totalmente original em sua abordagem, mas a aceitação generalizada do filme tornou-o um modelo para todo um sub-gênero.

Na segunda parte do post, falarei sobre o segundo filme da franquia, Aliens.

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

4 comentários:

Bob Mota comentou:

Bela resenha! Eu adoro esse filme desde pequeno.É bem isso que você falou mesmo, o suspense, o visual, é uma bela obra. Se tornou um ícone.
Já ouviu falar do prelúdio para Alien? Acho que sai ano que vem. A premissa é interessante.

* Andhora Silveira * comentou:

Obrigada! Ouvi falar sim... Espero que não estraguem ^^

Daniel comentou:

Eu sempre penso na nave Alien como uma nave dos predadores que ficou no planeta. Apesar de que em nenhum dos filmes de Alien ter qualquer tipo de referencia ao lugar de onde veio a nave ou de que planeta vieram os aliens, até no quarto os humanos nunca encontraram nada so fizeram o clone bizarro de ripley com objetivo de "fabricar" aliens.

* Andhora Silveira * comentou:

Também imagino dessa forma... Mas pode ter sido uma outra nave abatida depois de um possível ataque de Aliens. Quem sabe? Vamos ver se esse novo filme explicará a origem do Alien ^^

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top