Um Mundo Invertido


- quarta-feira, 2 de março de 2011

Eu estava andando na chuva enquanto todos corriam para seus destinos, tentando se proteger sob toldos e guarda-chuvas para não molhar a roupa ou os sapatos ou o cabelo. Eu apenas andava, deixando absorver as gotas que caíam. Nunca canso de espantar-me como a chuva é emocionante. Ela parece acentuar cada pensamento que tenho e traz à tona sentimentos que eu não sabia que era capaz de suprimir. Então, ainda andando, cheguei a uma rua ladeada de árvores e com o pavimento escuro e brilhante refletindo-as com extraordinária precisão, de forma que vagar pela calçada havia se tornado algo surreal. Quando olhei para meus pés, parecia que eu estava andando no céu, delicadamente suspensa, flutuando entre as árvores. Toda a experiência foi inebriante.

Parece que uma grande parte do tempo eu estava sonhando, porque em momentos como este, eu me sinto tão alerta, tão consciente, e tudo parece cem vezes mais poderoso e magnífico, dessa maneira só posso concluir que para outros 96% da minha vida eu estou em uma espécie de estado inativo, presa aos detalhes mundanos da existência e perdendo inteiramente a euforia da vida.

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

Seja o primeiro a comentar!

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top