Os 10 Mistérios mais Intrigantes da História


- quinta-feira, 26 de novembro de 2009
A Bíblia nos diz que Deus criou Adão e Eva apenas alguns milhares de anos atrás, por algumas interpretações fundamentalistas. A ciência nos informa que se trata de mera ficção e que o homem existe a alguns milhões de anos, e que a civilização existe a apenas dezenas de milhares de anos. Poderia ser, no entanto, que a ciência convencional estaria tão errada quanto as histórias da Bíblia? Há uma grande quantidade de evidências arqueológicas de que a história da vida na Terra poderia ser muito diferente do que os estudos geológicos e antropológicos nos dizem. Considere:

1. As esferas sulcadas:
Ao longo das últimas décadas, mineiros na África do Sul desenterraram esferas de metal misteriosas. De origem desconhecida, estas esferas medem cerca de uma polegada ou mais de diâmetro, e algumas são gravadas com três sulcos paralelos correndo ao redor do centro. Dois tipos de esferas foram encontradas: uma é composta de um sólido metal azulado com manchas brancas e a outra é escavada e preenchida com uma substância branca esponjosa. O mistério reside no fato de que as rochas encontradas são do período pré-cambriano - e datada em 2,8 bilhões de anos! Ainda não se tem idéia de quem fez e com que finalidade o artefato foi feito.

2. Os Dropa:
Em 1938, uma expedição arqueológica liderada pelo Dr. Chi Pu Tei, nas Baian-Kara-Ula, montanhas da China, fez uma surpreendente descoberta em algumas cavernas que aparentemente tinham sido ocupadas por alguma cultura antiga. Enterradas na poeira dos séculos, no chão da caverna estavam centenas de discos de pedra. Medindo cerca de nove centímetros de diâmetro, cada um tinha um círculo cortado no centro e foi gravado com uma ranhura espiral, como uma vitrola antiga, a cerca de 10.000 a 12.000 anos de idade. O sulco em espiral é na verdade composto por minúsculos hieróglifos que contam a incrível história de espaçonaves de algum mundo distante, que fez um pouso forçado nas montanhas. As naves foram pilotadas por pessoas (ou seres?) que se chamavam "Dropa", e os restos de seus descendentes, possivelmente, foram encontrados na caverna.

3. As Pedras de Ica:
Começando em 1930, o pai do Dr. Javier Cabrera, Antropólogo Cultural de Ica, Peru, descobriu várias centenas de pedras nos túmulos dos antigos incas. Dr. Cabrera, continuando o trabalho de seu pai, recolheu mais de 1.100 dessas rochas, que são estimadas entre 500 e 1.500 anos e se tornaram conhecidas como Pedras de Ica. As pedras tem gravuras de ursos, algumas com imagens sexuais, outros retratam práticas como cirurgia de coração e transplantes de cérebro. As gravuras mais surpreendentes, entretanto, claramente representam dinossauros - brontossauros, triceratops, estegossauros e pterossauros. Enquanto os céticos consideram as pedras de Ica uma farsa, a sua autenticidade não foi refutada.

4. O Mecanismo de Antikythera:
O artefato foi recuperado com perplexidade por investigadores de um naufrágio em 1900 na costa de Antikythera, uma pequena ilha que fica a noroeste de Creta. Os mergulhadores encontraram a partir dos destroços um grande número de mármores e estátuas de bronze que aparentemente tinham sido a carga do navio. Entre os resultados foi um pedaço de bronze corroído que continha algum tipo de mecanismo composto por várias engrenagens e rodas. Escrevendo sobre o caso, foi informado que o artefato tinha sido feito em 80 a.C., e muitos especialistas pensaram primeiramente que era um astrolábio, um instrumento de astronomia. Um raio-x do mecanismo, no entanto, revelou que o artefato era muito mais complexo, com um sofisticado sistema de engrenagens diferenciais. Tal complexidade não era conhecida e nem existia até 1575! Ainda não se sabe quem construiu este instrumento fantástico de 2.000 anos atrás ou de como a tecnologia foi perdida.

5. Bateria de Bagdá:
Hoje baterias podem ser encontradas em qualquer supermercado, lojas de conveniência ou lojas de departamento. Bem, aqui vai uma bateria de 2.000 anos de idade! Conhecida como a bateria de Bagdá, essa curiosidade foi encontrada nas ruínas de uma vila Parthian. Acredita-se que datam entre 248 a.C. e 226 d.C. O dispositivo consiste em um vaso de barro alto dentro do qual existe um cilindro de cobre dentro de uma barra de ferro oxidado. Especialistas que examinaram, concluíram que o dispositivo só precisava ser preenchido com um ácido ou um líquido alcalino para produzir uma carga elétrica. Acredita-se que esta antiga bateria poderia ter sido usada para galvanoplastia de objetos de ouro. Se sim, como esta tecnologia tão importante se perdeu?

6. O Artefato de Coso:
Durante a caça mineral nas montanhas da Califórnia, perto de Olancha durante o inverno de 1961, Lane Wallace, Virginia Maxey e Mike Mikesell encontraram uma pedra, entre muitas outras. Ao cortá-la, no entanto, Mikesell encontrou um objeto dentro do que parecia ser feito de porcelana branca, no centro de uma haste de metal brilhante. Especialistas estimam que ele deveria ter cerca de 500.000 anos para este fóssil incrustado com nódulos, e que o objeto era obviamente de uma fabricação humana sofisticada. Outras investigações revelaram que a porcelana foi cercada por um invólucro hexagonal, e um raio-X revelou uma pequena mola. Alguns que examinaram as provas dizem que se parece muito com uma vela de ignição moderna. Como ela foi parar dentro de uma pedra de 500.000 anos de idade?

7. Modelo de aeroplano:
Existem artefatos pertencentes às antigas culturas egípcia e da América Central que ao se olhar parecem surpreendente com modernas aeronaves. O artefato egípcio, encontrado em uma tumba em Saqquara, Egito, em 1898, é um objeto de seis polegadas de madeira que se parece muito com um modelo de avião, com a fuselagem, asas e cauda. Especialistas acreditam que o objeto é tão aerodinâmico que é realmente capaz de planar. O pequeno objeto foi descoberto na América Central, e estima-se que tem 1.000 anos de idade, é feito de ouro e pode ser facilmente confundido com um modelo de uma aeronave de asa-delta - ou mesmo os ônibus espaciais. Ela ainda apresenta o que parece ser um lugar de piloto.





8. Gigantes Esferas da Costa Rica:
Trabalhadores cortando e queimando seu caminho através da densa floresta da Costa Rica, para limpar uma área de plantações de banana em 1930, depararam-se com alguns objetos incríveis: dúzias de esferas de pedra, muitas das quais eram perfeitamente esféricas. Elas variavam de tamanho: tinha do tamanho de uma bola de tênis para até 8 metros de diâmetro, pesando 16 toneladas! Não se sabe quem as fez, com que finalidade e, o mais intrigante, como conseguiram tal precisão esférica e grandiosa.






9. Fósseis Impossíveis:
Fósseis, como aprendemos na escola, aparecem em rochas que foram formadas há milhares de anos atrás. No entanto, há um número de fósseis que simplesmente não fazem sentido geológica ou histórica. Um fóssil de uma marca de mão humana, por exemplo, foi encontrado em calcário estimado em 110 milhões de anos. O que parece ser um dedo humano fossilizado encontrado no Ártico Canadense também data de 100 a 110 milhões de anos. E o que parece ser o fóssil de uma pegada humana, possivelmente usando uma sandália, foi encontrado próximo a Delta, Utah, em um depósito de xisto estimado em 300 a 600 milhões anos.

10. Objetos de Metal:
Há 65 milhões de anos atrás, as pessoas nunca teriam em mente que seres humanos poderiam trabalhar metal. Então como é que se explica tubos metálicos semi-ovais de 65 milhões de anos, na idade do Cretáceo encontrados na França? Em 1885, um bloco de carvão quebrado foi aberto e foi encontrado um cubo de metal obviamente trabalhado por mãos inteligentes. Em 1912, funcionários de uma usina elétrica partiram um grande pedaço de carvão e acharam o que parecia uma panela de ferro! Um prego foi encontrado enterrado em um bloco de arenito da Era Mesozóica.

E existem muitos mais mistérios e anomalias assim...

O que pensar destes achados? Existem várias possibilidades:

* Seres inteligentes remontam de muito, mas muito mais tempo do que imaginamos.
* Outros seres inteligentes e civilizações existiram na terra, muito além da nossa história.
* Os nossos métodos de datação, como o Carbono 14, são totalmente imprecisos.

Em qualquer caso, estes exemplos devem levar qualquer curioso e cientista de espírito aberto a reexaminar e repensar a verdadeira história da vida na Terra.
O que você acha?

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

3 comentários:

pablo comentou:

nos testes de carbono-14, além de se estimar uma data, estima-se também a margem de erro, assim qualquer análise científica deve conter a estimativa e a margem de erro. Sem margem de erro a datação não tem validade científica nenhuma.

* Andhora Silveira * comentou:

Obrigada pela correção a respeito do "carbono 14" (tinha me confundido e escrito "carbono 12")... mas o que pensar dessas datas totalmente absurdas que não batem com a história que até então estudamos...? A margem de erro pode ser enquadrada em erros "extremamente" absurdos?

Blog do Rafael comentou:

Muito legal seu blog.
Parabens pelo conteudo!

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top