E o horror foi chamado... Nessie!


- domingo, 1 de março de 2009
O monstro do Lago Ness, também conhecido como "Nessie", é uma criatura ou um grupo de criaturas que acreditam que vive no Lago Ness, um profundo lago de água doce (conhecido na Escócia como um fiorde) perto da cidade de Inverness. Nessie é talvez o mais conhecido mistério da criptozoologia (estudo de "animais escondidos"; os criptozoólogos procuram desvendar os mistérios de criaturas que ainda não foram cientificamente classificadas).




História


  • Saint Columba (565 d.C.):

O primeiro relatório de um monstro associada às proximidades do Lago Ness foi a descrita por Adomnán, no século VII. Segundo a Adomnán, o monge Saint Columba estava nessa terra com seus companheiros, quando foi ao local enterrar um homem que fora afogado no lago Ness. Eles explicaram que o homem havia ido nadar no lago, quando foi atacado por um "monstro". Eles tentaram resgatá-lo em um barco, mas apenas foram capazes de arrastar o seu cadáver. Columba e o seu seguidor Luigne Moccu Min foram nadar no lago. A besta apareceu, mas Columba fez o sinal da cruz e ordenou que o monstro fosse para longe e não tocasse nele. A besta imediatamente foi embora como se tivesse sido "puxada para trás com cordas" e eles fugiram em terror. Ambos agradeceram pelo "milagre de Deus".
Aqueles que acreditam que exista um monstro no lago Ness freqüentemente apontam para esta história. No entanto, céticos afirmam que histórias de monstros eram extremamente comuns nas vidas de santos medievais e pode, além disso, em um artigo para Cryptozoology, AC Thomas observa que mesmo que houvesse alguma verdade na história, esta poderia ser explicada racionalmente, como por exemplo um encontro com uma morsa ou semelhante criatura que tenha chegado lá.

  • Spicers (1933) :

O moderno interesse pelo monstro foi suscitado pelo avistamento em 22 julho de 1933, quando George Spicer e sua esposa viram "um animal de forma extraordinária" atravessar a rua na frente do seu carro. Eles descreveram a criatura como tendo um grande corpo (cerca de 4 pés [1 m] de altura e 25 pés [8 m] de comprimento), um longo e estreito pescoço e um tronco um pouco mais espesso do que um elefante. Eles não viram os membros, possivelmente devido a estrada obscurecer a porção inferior do animal. A criatura deixou apenas um rastro de trincas subarbustivas em seu trajeto.
Em agosto de 1933, um motociclista chamado Arthur Grant alega ter quase atingido uma criatura que se aproximava de Abriachan no nordeste da costa, a cerca de 1:00 h da noite. Grant afirmou ter visto um longo pescoço e que a criatura o viu, cruzando a estrada de volta para o lago logo em seguida. Grant disse que largou sua moto e foi até o lago, mas apenas viu ondulações.
Em 5 de junho de 1933, uma jovem chamada Margaret Munro supostamente observou a criatura por cerca de 20 minutos. Ela alegou que era 6:30 h quando viu a cerca de 200 metros de distância a criatura em terra. Disse que a criatura tinha uma "pele de elefante", um longo pescoço, uma cabeça pequena e duas curtas barbatanas. O avistamento aparentemente terminou quando a criatura entrou na água.
Os avistamentos em terra continuaram até o ano de 1963, quando foi feita a gravação de imagens de baixa qualidade da criatura a vários quilômetros de distância.

  • C. B. Farrel (1943):

Em Maio de 1943, CB Farrel do Royal Observer Corps, desviou-se de suas funções por uma boa causa: um avistamento do "Nessie". Ele disse que foi a cerca de 250 metros de distância que avistou a criatura, que tinha de vinte a trinta pés (6-9 m) de comprimento corporal, e um pescoço com cerca de 4 - 5 pés (1,2-1,5 m) fora da água.

  • Contato com Sonar (1954):

Em Dezembro de 1954, um estranho contato foi feito por meio de um sonar de um barco de pesca, o Rival III. A tripulação do navio observou que o sonar fez a leitura de um grande objeto, em um certo ritmo com o barco a uma profundidade de 480 pés (146 m). Acompanharam o "grande objeto" em um percurso de meia milha (800 metros) antes do contato ser perdido. Muitas tentativas de contato com sonares haviam sido feitas anteriormente, mas a maioria foi inconclusiva ou negativa.


  • A "Fotografia do Cirurgião" (1934):

Uma das mais conhecidas imagens do Nessie é a "Fotografia do Cirurgião" (Surgeon's Photo), que muitos a considera uma boa prova da existência do monstro. Sua importância reside no fato de que ela era a única prova fotográfica de uma "cabeça e pescoço".
Supostamente tomadas por Robert Kenneth Wilson, um ginecologista de Londres, foi publicado no Daily Mail de 21 de Abril de 1934. Wilson recusou-se a ter seu nome associado à fotografia, e esta passou a ser chamada "Fotografia do Cirurgião".
Em 1979, alegou-se que era uma imagem de um elefante. Outros céticos na década de 1980 argumentou que a foto foi de uma lontra ou um mergulho de pássaro, mas depois Christian Spurling confessou que o "monstro" era um submarino de brinquedo com uma cabeça esculpida. Basicamente era um submarino de brinquedo com uma cabeça e pescoço de madeira plástica, construída por Christian Spurling, o genro de Marmaduke Wetherell, um grande caçador que tinha sido publicamente ridicularizado no Daily Mail. Spurling alegou que, para se vingar, Marmaduke Wetherell forjou, com a ajuda de Chris Spurling a escultura e pediram ao cirurgião Robert Kenneth Wilson para oferecer as imagens para o Daily Mail. A história do trote é contestada por Henry Bauer, que afirmou que a madeira plástica não existia em 1934
Alastair Boyd, um dos pesquisadores que descobriu a possível falsificação, argumenta que o monstro do Lago Ness é real e que o acontecimento não é motivo suficiente para indeferir relatórios e outras provas.



  • O Vídeo de Taylor (1938):

Em 1938, G.E. Taylor, um turista sul-africano, filmou algo no lago durante três minutos. O filme ficou em posse do Dr. Maurice Burton. No entanto, Burton se recusou a mostrar o filme para investigadores. Uma única imagem foi publicada em seu livro "The elusive Monster". Dr. Roy P. Mackal, um biólogo e criptozoólogo, declarou que o vídeo é uma "prova positiva". Posteriormente, o vídeo também foi mostrado para o Instituto Nacional de Oceanografia, agora conhecido como "Southampton Oceanographic Centre". Os peritos concordaram que o filme mostrou claramente que algo flutuava no lago.

  • O Vídeo de Dinsdale (1960):

Em 1960, o engenheiro aeronáutico Tim Dinsdale filmou algo côncavo passando pelas águas do lado Ness, diferente de qualquer coisa que se assemelhasse a um barco. Declarou-se que o objeto era "provavelmente um animal".
Em 1993 Discovery Communications fez um documentário chamado "Loch Ness Discovered", que apresentou o vídeo de Dinsdale. Um computador foi utilizado para aumentar o foco do vídeo e encontrou o que parecia ser um corpo mais duas "bolsas" semelhantes a barbatanas, como o corpo de plesiosaurus. Dinsdale disse: "Antes eu vi o filme e pensei que o monstro do Lago Ness não passava de uma lenda." Alguns contestaram esta conclusão, dizendo que o ângulo a partir da horizontal, juntamente com o ângulo do sol fez sombras subaquáticas improváveis.

  • O Vídeo de Holmes (2007):

Em 26 de Maio de 2007, Gordon Holmes, de 55 anos, fez a filmagem de um vídeo que mostra algo se movendo bastante rápido na água. Adrian Shine, um biólogo marinho, assistiu o vídeo e o analisou. Shine descreveu as imagens como "a melhor filmagem que ele já viu." A BBC da Escócia difundiu o vídeo em 29 de Maio de 2007. Adrian Shine foi entrevistado e sugeriu que as filmagens poderiam mostrar uma lontra ou uma ave aquática.

Explicações


Uma variedade de hipóteses têm sido criadas ao longo dos anos para explicar as visões do Monstro do Lago Ness.

Identificação incorreta de animais comuns

  • Pássaros

Um garçom chamado David Munro afirma ter assistido a uma sequência de zig-zags que ele acredita ser pássaros em mergulho. Um grupo de aves pode submergir na água e voltar a terra em seguida formando uma seqüência de ondas, como um objeto rompendo a superfície.

  • Enguia

A enguia gigante foi uma das primeiras hipóteses feitas. Elas se enquadrariam em muitos avistamentos relatados. Dinsdale indeferiu a proposta, porque as ondulações não condizem com as ondulações que as enguias provocam na água. Mas elas são animais de água salgada e a água do Lago Ness é doce; acredita-se que elas foram colocadas lá para serem vistas como "Mini-Nessies."

  • Elefante

Em 1979 um artigo do biólogo Dennis Power e do geógrafo Donald Johnson alegou que a "Fotografia do Cirurgião" se tratava de um elefante nadando, provavelmente de outro local, e foi fotografado. O artista e paleontólogo Neil Clark similarmente sugeriu que poderia ser o elefante de algum "circo viajante" que tenha ido ao lago para refrescar-se e que, portanto, teria sido fotografado.

  • Lontras

Quando visto através de um telescópio ou binóculos sem referência ao redor da imagem, é difícil avaliar o tamanho de um objeto da água. No Lago Ness é comum aparecerem lontras e as imagens poderiam se tratar de lontras nadando no lago.


Folclore

De acordo com o naturalista e autor sueco Bengt Sjögren (1980), as crenças de monstros no lago, como o Nessie, estão associados com velhas lendas dos kelpies. Ele afirma que as lendas, mudaram ao longo dos séculos, inicialmente descrevendo criaturas com aparência de cavalo, eles diziam que o "kelpie" iria sair do lago, transformar-se em um cavalo e devorar pessoas . Este mito era usado para manter as crianças longe do lago. Sjögren conclui que a lenda do kelpie tenha se desenvolvido nas atuais descrições do monstro Nessie, refletindo na moderna concepção dos plesiossauros. Em outras palavras, o kelpie da lenda, foi transformado em uma noção mais "realista" e "contemporânea" da criatura.



  • Fakes
O fenômeno provocou várias tentativas de ludibriar o público, alguns dos quais foram muito bem sucedidos. Outras farsas foram reveladas bastante depressa quando são submetidas a investigação.

Em 2 de julho de 2003: Gerald McSorely encontrou um fóssil supostamente pertencentes ao Nessie quando ele tropeçou e caiu no lago. Após o exame, tornou-se claro que os fósseis haviam sido colocados lá.

Em 2004, um documentário para um canal de televisão, utilizando efeitos especiais de filmes, tentou fazer com que as pessoas acreditassem que houve algo no lago. Eles construíram um "animatronic" de um plesiossauro e foi apelidado "Lucy". 600 avistamentos foram relatados nos locais em que se realizaram a farsa.

Em 2005, dois estudantes alegaram ter encontrado um grande dente no corpo de um cervo. Eles espalharam amplamente a notícia, até mesmo com a criação de um site, mas especialistas logo analisaram e revelaram que os "dentes" era um chifre de veado. O fake serviu para promover um romance de horror de Steve Alten intitulado, O Lago (The Loch).

De qualquer maneira, independentemente de existir ou não, o monstro do Lago Ness tem um significado muito importante para a economia local. Dezenas de hotéis, agências de turismo e comerciantes devem parte de seus lucros a esse monstro, embora as pessoas visitam o local também pelas belezas naturais existentes em Inverness.



Site recomendado:
http://www.lochness.co.uk (Mais informações sobre o lago, Nessie e imagens das câmeras que monitoram o lago 24 horas por dia.)

author

.:: Andhora Silveira ::.

É graduanda em Ciência da Computação. Ama ficção científica,
histórias em quadrinhos, heavy metal, livros, física, astronomia e tecnologia.
É uma leitora exigente e gosta muito de escrever. Vida longa e próspera.

Comente pelo facebook:

Comentário(s):

Comente pelo blogger:

2 comentários:

Juliano Furlanetto comentou:

Muito bom o post, até porque ultimamente ando meio obsecado com essas histórias ne Nessie, Yeti e afins haha, é bom pesquisar esses mistérios. Até meu último post no meu blog foi á respeito disso. Caso queira conferir.

www.julifurla.blogspot.com

Bob Mota comentou:

Eu sinceramente não sei no que acreditar. Eu penso que se realmente tivesse o interesse de desvendar esse mistério, isso já teria sido resolvido. Temos tecnologia para isso. Creio que o problema é que caso fosse uma farsa. A economia local seria afetada.
Aí fica aquela situação: Vamos desvendar o mistério e afetar toda uma população?
Legal seria se existisse, se uma eu for milionário, como o Eike Batista, invisto numa pesquisa séria nesse local.

:)) ;)) ;;) :D ;) :p :(( :) :( :X =(( :-o :-/ :-* :| 8-} :)] ~x( :-t b-( :-L x( =))

Postar um comentário

* Todos os comentários são lidos e moderados previamente;

Não serão publicados aqueles comentários que:

* Não estão relacionados ao tema do post;
* Contém propagandas (spam);
* Com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;
* Possui erros ortográficos e miguxês.

Back to Home Back to Top